14.9.12

"O Uso das Coisas" – A CANGA VAREIRA

Jornal JOÃO SEMANA (01/11/2009)
TEXTO: Fernando Pinto

Foi com a RODILHA que abrimos, na edição de 15 de Setembro, esta rubrica. Hoje, em “O uso das coisas”, vamos falar da CANGA VAREIRA. [CLIQUE NO LINK PARA LER]

Canga vareira
O que é e para que serve este objecto de madeira? A canga vareira é o jugo com que se juntam os bois para o trabalho, e é feita de carvalho, sobreiro, castanheiro, ou até mesmo de eucalipto. (Quanto melhor for a madeira, mais facilmente trabalha o formão e a goiva nas mãos do artista, já que este curioso objecto, para além das pinturas e dos ornamentos, apresenta relevos habilmente esculpidos pelo artesão, que é ao mesmo tempo pintor, carpinteiro e entalhador. A canga do tipo vareiro, ao contrário da canga minhota, não costuma ter muitas perfurações, muitos rendilhados.
Ao ler o pouco que existe sobre este tema, descobri um texto muito curioso de Vasco Branco, publicado no boletim Aveiro e o seu Distrito, de Dezembro de 1975, que lembra que os motivos centrais da canga vareira são "a custódia, cruz de Cristo, vaso de flores ou signo-saimão (que nos protege do mau-olhado), às armas da monarquia e república", e que “os elementos decorativos menores são geralmente fitomórficos e geométricos.” A flor-de-lis aparece normalmente disposta em friso.

Juntas de bois (Praia do Furadouro, Ovar)
Na foto podemos ver quatro juntas de bois, alinhadas no areal da praia do Furadouro, durante um dia de trabalho no mar. E lá estão as cangas vareiras, todas encabeladas... Não me recordo de presenciar um quadro destes, mas durante a minha adolescência, no início da década de oitenta, costumava ir passear para os lados do Torrão do Lameiro para fotografar as proas e rés dos barcos moliceiros, e de seguir os sulcos deixados pelo rodado de um carro de bois, até descobrir, mais adiante, um lavrador a encher o carro de moliço para fertilizar as terras que ficavam mesmo ali ao lado. E lá estava a canga vareira a unir a junta de bois, sorrindo com todas aquelas cores puras e harmoniosas, com o seu característico trapézio central, estreito e elegante a pontuar a paisagem ribeirinha.

Canga vareira
Conversando, há tempos, com alguns moradores do Torrão do Lameiro, disseram-me que a canga vareira é uma peça cobiçada por coleccionadores e turistas e que, infelizmente, tendem a desaparecer dos nossos meios rurais. É verdade que as conseguimos admirar nos Museus ou nos desfiles etnográficos, mas quem é que irá perpetuar esta arte que não tem preço e que se encontra à venda nos leilões que se fazem na Internet?

Canga vareira de 1930 (Ribeira de Ovar)
FOTO: FERNANDO PINTO

Artigo publicado no jornal JOÃO SEMANA (1 DE NOVEMBRO DE 2009)
http://artigosjornaljoaosemana.blogspot.pt/2012/09/o-uso-das-coisas-canga-vareira.html

Sem comentários: