17.8.13

Algumas notas toponímicas Ovarenses – AÇÕES

Jornal JOÃO SEMANA (15/01/1994)
TEXTO: A. de Almeida Fernandes

Não escrevo Assões como se faz, porque, se bem que ainda não tratei da sua etimologia, vejo que as formas antigas – que para ela coligi – não autorizam tal erro; portanto ç e não, jamais, ss, descubra-se ou não a etimologia. Por outro lado, não é mesmo que Azões ( conc. De Vila Verde), topónimo que tinha a forma Cegões ( ainda no séc. XIII) quando o ovarense Ações aparece Zoees 1124, Zoenes 1134, Zoes 1145, indubitavelmente o nosso Ações atual, já Ozões em todo o séc. XIII, com vogal prostética. O facto de se abrir hoje a vogal inicial nada importa: trata-se de mero efeito de se pensar no nome comum “acções” (apesar da escrita errada, -ss-, uma arbitrariedade que caracteriza sempre a toponímia mal interpretada). De facto, se se tratasse de A- (inicial) aberto de origem, ter-se-ia ele de crase, e esta exigiria duas sílabas originárias, com consoante sincópica, o que a forma antiga, com Z-, exclui terminante e irrevogavelmente. De resto, a prótese vocálica fez-se primeiramente com outra vogal, O-, por influência da tónica, -ões. (Portanto, a ideia de Miguel de Oliveira acerca do A- aberto da pronúncia atual tem razão de ser, mas nada representa para o caso). Tudo indica que, se –enes  foi, realmente, da etimologia do topónimo, este passou de Zoenes a Çoéns, que transitaria facilmente a Ções ( em vez de Çoães, ou mesmo que com esta forma intermédia). De qualquer modo e se bem que nenhum autor – que eu saiba – identificou a “villa” Zoenes, bem documentada, trata-se, sem dúvida, de Açôes ovarense: não só fonologicamente, porque até se sita num dos documentos com Sande e diz-se no litoral com este.

Uma rua do lugar de Ações, Ovar

Creio que a etimologia antroponímica que se afigura exige uma certa diferença na evolução fonológica acima exposta, -oenes, -oens, (-oães), -oões, sucessivamente: de facto, que –oenes é um particularismo fonético local e efémero, mas suficiente, em duração e espaço, para algum tempo (séc. XII), se ter imposto aos escribas. Na verdade, teria sido –ones antes de –ões actual.
No entanto, como interpretar -enes que surge? Encontro-a mais uma vez na região, em Ermogenes (hoje Esmojães, conc. de Espinho): tudo me faz crer que -enes é aí uma forma fonética espúria, de -anes (Ermogianes), mas em Zoenes poderá ter-se uma alteração, também espúria, ou local, de -ones, ou seja, Zaones antes de Zoenes - o que nos conduz para o nome pessoal muito usado até ao séc. XI-XIII e presumivelmente de origem arábica Zahadon. Sendo assim, o seu plural Zahadones, que evoluiria Za(a)ones por fim ções, a que se juntou a vogal que o topónimo tem hoje, Oções, depois Ações, se é que não simultâneos.
É a minha opinião até aparecer melhor – isto é, que satisfaça às leis fonológicas e explique todas as variantes documentadas.
Não terminarei sem apontar o caso curioso de o filólogo etimologista Dr. J. Pedro Machado apenas registar Ações apontando a grafia Assões e apenas declarar, inocentemente, que não sabe por isso qual a forma ou escrita correta. Custa a crer isto, porque bastaria buscar os documentos que apresentei – o que não teria qualquer dificuldade. Escusado dizer que não deu – nem a ela se referiu – qualquer explicação etimológica, e, o que é pior, se tratou tacitamente por isso de uma opinião. Parece que nem sabe ou não se lembra de que as formas antigas nos indicam qual a grafia exata: procurasse-as. Mas com todas estas falhas de critério – e já nem digo ciência – é-se luminar e só perde aquele que, não sofrendo ou sofrendo pouco delas para cada caso ventilado, passa a ser confrontado com um na divergência. Sei-o por experiência própria que chega ao grau do ultraje recebido: mas não me preocupo com isso dentro deste campo, porque só recorre ao insulto quem não tem a ciência suficiente – ou seja, um dos opositores tem a mais desta do que o outro tem a menos e que o deficitário implicitamente assim reconhece...

Artigo publicado no jornal JOÃO SEMANA (15 de janeiro 1994)
http://artigosjornaljoaosemana.blogspot.pt/2013/08/algumas-notas-toponimicas-ovarenses.html

LEIA MAIS AQUI

Sem comentários: