22.11.12

Zeladoras da Igreja Matriz [de Ovar]

Memórias de um antigo sacristão de Ovar

Jornal JOÃO SEMANA (15/11/2012)
TEXTO: António Dias Fernandes

Recordar, passo a passo, todos os meus 28 anos entregues à vida da Igreja e ir buscar ao fundo da memória todas estas recordações e pô-las em folha, sei que é o meu melhor agradecimento a todas aquelas senhoras que durante anos e anos dedicaram à Igreja alguns dos seus dias e muitas das suas tardes, com o fim de cuidarem dela e de a adornarem, para que todos os que ali entrassem sentissem um ar de conforto, de asseio e de amor. Para muitos, elas foram umas desconhecidas, talvez nunca procurando saber de quem eram as mãos habilidosas que com carinho e competência enfeitavam os altares da nossa Matriz.
Igreja Matriz de Ovar (cerca de 1910)

Altar do Senhor da Agonia
É justo realçar aqui a posição da Sr.ª D. Ester Augusta Nunes da Silva, esposa do Dr. Nunes da Silva, que fez deste altar uma coisa sua, que o tratou como um filho seu e que, com sacrifício, o valo­rizou com uma restauração total, douramento, ofertas de castiçais e serpentinas, carpetes, ricas toalhas bordadas e cortinados em damasco. Mas o restauro que mandou fazer na imagem de Cristo Crucificado terá sido a sua melhor ação. Que Deus a tenha consigo, juntamente com todas aquelas zeladoras que com ela colaboraram no arranjo deste altar: Manuela Belo, Rosa Alminha, Eduarda Alminha, Laura Correia Dias, Ema Antero, e Olívia Dias.

Altar do Senhor dos Passos
A zeladora que mais recordo é a Sr.ª D. Eduarda Vilas, com mais de 50 anos dedicados a este altar, sempre pronta, zelosa e cheia de amor por tudo o que fazia.

Zeladoras do altar do Passo da Igreja com dois irmãos
da Ordem Terceira em meados dos anos 70

É admirável como mulheres com responsabilidades nos seus lares conseguem sair deles, e que na Igreja encontram um segundo lar, onde há dedicação e asseio. Acompanharam-na sempre: Irene Dias, Nazaré do Grande, Encarna­ção do Céu Pinto, Maria Carolina, Adelaide Elvas, Ana Dias, Aninhas Catalão, Nazaré Saboga, Cecília Marcelino, Maria do Céu Constantino. Esta última senhora foi, sem dúvida, uma benemérita que a Igreja não deve esquecer. Lembro-me do lindo lustre e da bonita carpete que ofertou. A Sr.ª D. Maria do Céu Picado deixou tam­bém valores importantes a este altar.

Altar do Coração de Maria
Foram zeladoras deste altar: Maria Cândida R. Anselmo, Amé­lia Criosa, Madelana e Maria José Carosa, Luciana Vinagre, Palmira Lopes Tanásia e Judite Lopes Ta­násia, Maria Helena Felintra, Al­bertina Coelho, Rosa Lírio e Maria Manuela Lírio, e Emília Malaquias Batatel.
Sinto-me ainda na obrigação de lisonjear a Sr.ª D. Maria Cândida R. Anselmo, com 50 anos dedicados, com sacrifício e muito amor a este altar.

Altar-mor (antes, do Santíssimo Sacramento)
Boas senhoras deixaram ali o testemunho dos seus tra­balhos cuidados e asseados. Foram elas: D. Maria Godinho, Ana Lamarão, Carmina Silva Lamarão, Maria do Carmo Salvador, Ester Soares de Sousa, Deolinda Gomes, Maria de Jesus Ferreira, Maria Mar­garida Travessa, Francelina Baeta, Joaquina Ribeiro Araújo, Maria Helena Araújo Oliveira Cardoso, Maria Carolina de Oliveira Car­doso, Raquel Ferreira Malaquias, Leonor Prado Bueno do Amaral e Emília Malaquias Batatel.

Altar da N.ª Sr.ª do Rosário
Outro punhado de senhoras entregou-se, com amor e sacrifí­cio, a este altar. É justo realçar o trabalho da Sr.ª D. Rosa Pinto, da Ponte Reada. Foi, sem dúvida, uma vida inteira dedicada a este altar. Acompanharam-na: Marquinhas Formigal, Glória Lopes Marques (Marcelino), Leonor Prado Bueno do Amaral, Ester Redes, Alzira Redes, Rosa Safanó.

Altar do Santíssimo (ou Sagra­do Coração de Jesus)
Das suas zelado­ras, dotadas de extre­ma dedicação, pode dizer-se que em cada flor que ofertavam ia uma mão aberta de amor e sacrifício.
Margarida Go­mes da Silva Capoto (n. 1917) tomou o encargo do mês de julho, sucedendo a Margarida e a Rosa Polónia (muito an­tigas, tias de Maria Gomes Polónia, que em 1917 teria 60 anos de idade e era Secretária do Apos­tolado da Oração). Eram suas auxiliares: Celeste Camarão, Al­bertina Coelho, Rosa Afonso (uma zeladora que deu muito a este altar), Rosa Oliveira Dias, Sofia Vidal, Maria Carolina de Oliveira Cardo­so (tesoureira depois de 1917), D. Maria Amélia Antero (mais tarde substituída pela sua filha Maria Ema), Conceição Faustina, Agos­tinha Moura, Maria Abragão.

Antigo altar provisório
da Imacu­lada Conceição
Altar da Imaculada Conceição
Foram zeladoras: Sofia Vi­dal, Agostinha Moura, Conceição Faustina, Marília Valente, Maria de Oliveira da Silva, Maria Bárbara Quadros de Almeida, Laurinda Cor­reia Vermelho, Margarida Capoto (tomou conta deste altar quando assumiu também o do Coração de Jesus), Ester e Alzira Redes, Celes­te Camarão (no mês de Maio), Rosa de Oliveira Dias.
A imagem da titular deste altar foi pertença do Colégio das Doro­teias de Ovar, onde era padroeira das Filhas de Maria. Mais tarde, quando da Implantação da Repú­blica, transitou, por compra, para a casa da família Peixoto. Por ini­ciativa e generosidade de Piedade Emília Pinto, Sofia Vaz Vidal e outros, foi adquirida e oferecida para a Igreja Paroquial, onde lhe foi dedicado um altar provisório, até à sua mudança para o altar onde esteve o Sagrado Coração de Jesus.
Acho conveniente relembrar a iniciativa, tomada anualmente pela Sr.ª D. Sofia Vidal, de se fazer uma lavagem a toda a Igreja, depois de espanar todas as paredes interiores, vitrais e guarda-vento, e de limpar altares, imagens e lustres.

Um apelo final
Numa última palavra, gostava que a generosidade feita à Igreja não ficasse por estas grandes bene­méritas, e que neste mesmo jornal, mais tarde ou mais cedo, se venham a relembrar outros grandes atos de pessoas bondosas que, com os seus sacrifícios, tenham ajudado a zelar, a preservar e a enriquecer o nosso património.

Artigo publicado no jornal JOÃO SEMANA (1 DE NOVEMBRO DE 2012)
http://artigosjornaljoaosemana.blogspot.pt/2012/11/zeladoras-da-igreja-matriz-de-ovar.html

Sem comentários: