9.2.12

Uma curiosidade na Matriz de Ovar

Jornal JOÃO SEMANA (15/07/2005)
TEXTO: Manuel Pires Bastos

Na soleira da porta principal da Igreja Matriz de Ovar, sobre o lado esquerdo de quem entra, encontram-se incrustadas duas peças em metal amarelo: uma chapa com a indicação NP 161, e um pequeno espigão.
Dada a pequena dimensão dessas peças, elas passam praticamente despercebidas, acontecendo que, ao longo dos 30 anos que tenho como Pároco, nunca ninguém me perguntou o seu significado.
A primeira informação que recebi sobre o assunto, há cerca de 20 anos, depois de algumas indagações, foi de que se tratava de uma sinalização da Rede Nacional de Nivelamento normalmente colocada em pontos estratégicos das localidades – pelo menos das mais importantes –, e que servia de ponto de referência topográfica em relação ao nível do mar.

A chapa com a indicação NP 161 e o pequeno espigão
(Igreja Matriz de Ovar)

As letras NP significam Nivelamento de Precisão, e o número 161 corresponde ao código do sítio onde se encontra localizado aquele ponto de referência.
Por querermos dar aos nossos leitores conhecimento desta curiosidade existente na Igreja Matriz, pedimos mais informações aos Serviços Cartográficos da Câmara Municipal, que gentilmente no-las concederam.
Cada Marca de Nivelamento tinha 4 testemunhas.
No caso da Matriz - NP161 -, a 1.ª testemunha é o ferro que se vê ao lado direito da chapa (15,443 m acima do nível do mar); a 2.ª está no extremo direito da mesma soleira, a 3.ª no cunhal sul da Igreja, e a 4.ª a meio do 2.º degrau das escadas exteriores (14,528 m), que dão acesso à rua.
Na base das cruzes das torres sineiras estão as marcas de coordenadas (a 45,56 m acima do nível do mar), ligadas, a partir de 1938, à base do Sistema Nacional, situada em Melriça (Vendas Novas).
Este sistema foi praticamente abandonado quando da instalação de um aparelho de medição no alto do depósito de águas, com mais fácil acesso, e, mais recentemente, com a actual triangulação via satélite, que em poucos segundos fornece, através de máquinas de campo sofisticadas, as informações topográficas pretendidas.

Artigo publicado no quinzenário ovarense
JOÃO SEMANA (15 de Julho de 2005)
http://artigosjornaljoaosemana.blogspot.com (TEXTO N.º 151)

Sem comentários: