4.8.11

“Irmão Luís da Silva, natural da Villa de Ovar"

Jornal JOÃO SEMANA (15/10/1911)
TEXTO: António Pinho Nunes

No átrio do Hospital da Ordem do Carmo, no Porto, está um quadro a óleo com esta legenda:
“Retrato do nosso caríssimo irmão Lvis da Silva natvral da Villa de Ovar prior qve foi desta veneravel Ordem 3.ª de Nossa Senhora do Carmo a quem deixov parte de seus bens falesceo em 17 de Maio de 1741 tendo de idade 60”.

Irmão Luís da Silva
(Clique na imagem)
A pintura, já muito esmaecida, mostra o nosso patrício a rezar o terço, com ar penitente e devoto.
De que família, de que lugar seria ele?
Da “Memoria Histórica da Ordem Terceira Nossa Senhora do Carmo da Cidade do Porto” extraí alguns elementos, mas não se encontra resposta àquelas interrogações.
Lê-se nessa “Memória” que, nos princípios de 1736, alguns devotos de Nossa Senhora do Carmo requereram ao Padre Comissário dos Carmelitas Descalços permissão para se constituírem em Irmandade, súplica que ele deferiu.
Assim, em 13 de Julho desse ano, deu-se princípio à Ordem com o lançamento do hábito a 12 irmãos.
Nos dias seguintes, concorreram muitos outros devotos, de modo que se tornou necessário prover ao governo da Irmandade enquanto não fossem em número bastante para se fazerem eleições regulares. Coube esse encargo a um grande número de irmãos, entre os quais o nosso conterrâneo Luís da Silva.
No livro de Inscrições dos Irmãos, Luís da Silva tem o n.º 15, figura como fundador, tem o cognome de “Brasyleiro”, mora na Rua Nova do Anjo, e pagou de inscrição, como os demais, 800 reis.
Um ano depois, contava a Ordem mais de 140 irmãos. E em 26 de Julho de 1737, procedia-se à eleição da Mesa. O irmão Luís da Silva foi eleito para o cargo de Tesoureiro da Cera.
Em 1738, em nova eleição, foi-lhe atribuído o cargo de Tesoureiro do Dinheiro.
Finalmente, a eleição de 1739 elevou o nosso patrício à dignidade de Prior da Ordem, tendo sido substituído na eleição do ano seguinte. Morava, então, na Rua das Hortas.
Como consta do livro de Óbitos da Ordem, Deus foi servido chamar este ilustre vareiro à Sua Presença no dia 17 de Maio de 1741, tendo sido sepultado no cemitério privativo da Ordem. O registo de óbito dá-lhe o nome de Luís da Silva Brasileiro. E não diz mais nada.
De que família, de que lugar era, afinal, o “nosso” irmão?
Ainda andei pelos registos Paroquiais a ver se lhe encontrava o Baptismo, e, com ele, apurar dados. Pois sim! Nada!
Se algum historiador de Ovar, mas afeito a “cavar em ruínas”, quiser ir à busca das raízes vareiras deste Silva notável, desde já lhe levanto calorosamente o meu chapéu.

Artigo publicado no quinzenário ovarense
JOÃO SEMANA (15 de Outubro de 1991)
http://artigosjornaljoaosemana.blogspot.com (TEXTO N.º 134)
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Igreja do Carmo (Porto) e Igreja de Ovar.
As imagens de N.ª Sr.ª do Carmo ficam do lado direito da respectiva capela-mor

Sobre a forte ligação do culto de Nossa Senhora do Carmo com a Paróquia de Ovar, de onde era natural o irmão Luís da Silva, leia AQUI.

Sem comentários: