22.5.10

Glória de Sant’Anna – Memórias a preto e branco

TEXTO: Glória de Sant’Anna

À Direcção do “João Semana” agradeço – aliás agradecemos – a referência ao Arquitecto Afonso Henriques de Andrade Paes, através de um artigo da autoria do Dr. Camilo de Araújo Correia, transcrito do jornal “Arrais”.
Afonso Henriques Manta Andrade Paes nasceu em Válega, estudou na ESBAP (Escola Superior de Belas Artes do Porto).

Depois de casado rumou a Moçambique, onde deixou uma vasta obra de arquitectura e construção civil, principalmente no norte, em Cabo Delgado.
Tinha uma empresa bem estruturada, cuja sigla AHAP era conhecida.
Foi Delegado do Turismo.
Iniciou uma carreira aérea (depois do respectivo estudo económico apresentado), o OCAPA (Organização de Carreiras Aéreas de Porto Amélia), que percorria o espaço norte de Moçambique, com aviões mono e bimotores Cessna que, além da distribuição do correio, fazia o transporte de passageiros.
Fez intercâmbio turístico com as ilhas Comores.
Após a Independência ainda exerceu, como arquitecto nomeado por decreto-lei, junto à presidência.
Mas antes de seguir para a ex-colónia, Afonso Henriques Andrade Paes, ainda estudante de Belas Artes, leccionou Inglês e Desenho num colégio de Ovar, e deixou o que creio que foi o seu primeiro trabalho arquitectónico, também em Ovar, e cuja fotografia junto.


Essas colunas e os muros laterais, que constituíam o projecto da entrada do Parque Marques da Silva, da ADO, ainda subsistem (foto a cores).
Acredito que Ovar se orgulhe do “seu Vareiro”, que era um homem íntegro e de convicções firmes.
O que aqui fica dito é uma pequena parte da sua vida de labor – que partilhou com muitos nativos, ensinando, e se refere apenas à sua actividade em Moçambique.

Desenho de Andrade Paes (1950)

Artigo publicado no quinzenário ovarense
JOÃO SEMANA (1 de Julho de 2004)

Sem comentários: